quarta-feira, 18 de junho de 2014

nada de mais

vou guardar as coisas todas de nos dois
nas caixas , nas gavetas, no forro da casa.

vou reler aquele poema
de longe, de tao perto
aberto o coração que ja esqueci

vou tentar amar o que passou
memoria vaga do que vivemos
doer mansinho
sininho na janela
agua correndo na calha

vou dormir agarrada ao travesseiro que um dia foi seu e tentar sorrir
nao valeu
nao provou nada
não vou correr desesperada
pois na esquina do meu coração tem um bar
onde sento e invento mais uma historia...

Nenhum comentário:

Postar um comentário